Índice IGP-M: entenda a sua alta e o impacto nos contratos de locação

indice-igpm-casarao-imoveis

Você sabe o que é o índice IGP-M? Se você é proprietário de imóvel com certeza já ouviu falar. Ainda assim, você tem ciência da importância dele? Afinal, este é o índice que rege o reajuste dos aluguéis. A Casarão preparou um resumo do impacto dele nas locações. 

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) é divulgado mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE). A título de conhecimento, no último trimestre, os registros do índice são de 31,10% (abril), 32,02% (maio) e 37,04% (junho). O aumento assusta, pois antes de março/2020 o índice mantinha uma média histórica.

Como isso impacta na sua locação? 

O imóvel é um ativo de recorrência, que depende da retenção para cumprir sua finalidade. O descontrole do IGP-M vem sendo um vilão na inadimplência e desocupação. Ademais, independente de previsões e possibilidades levantadas, nós afirmamos: o mercado vem reagindo de forma pontual. A regra é: esteja aberto a negociar.

A imobiliária Casarão é especialista na administração de imóveis, seu papel de origem é intermediar as relações entre locadores e locatários. Por isso, desde o início da pandemia e alta do IGP-M, o reforço do papel consultivo se fez presente nos inúmeros pedidos de negociação por parte dos inquilinos. 

Analise bem a situação

Nos últimos meses, passamos por mais de 500 chamados abertos para reajuste (set/20 até junho/21) na Casarão, em virtude da alta do IGP-M e mais de 700 negociações para redução de aluguel motivadas pelo cenário de pandemia. Um trabalho intenso de toda equipe do nosso setor de proprietários que usou diversas argumentações e análises para ajudar na manutenção de mais de 1200 locações.

Além de analisar o pedido do cliente, nesse momento de mercado se faz necessária uma análise do histórico da locação e perfil do imóvel. Nosso objetivo é manter as relações saudáveis para inquilinos e proprietários, chegando a um consenso para os dois perfis de clientes. 

O analista de operações da Casarão, Arthur Montardo, complementa: “é muito importante que a imobiliária se prontifique a contextualizar cada caso de acordo com o histórico da locação e das partes envolvidas. Assim será possível alinhar expectativas e necessidades de ambos, garantindo a permanência do locatário de forma saudável sem prejudicar o equilíbrio financeiro do proprietário”.

Quando você tem um bom locatário

Se o imóvel é ocupado por um bom inquilino que sempre cumpriu em dia suas obrigações contratuais, o caminho para manter a relação saudável na negociação fica muito mais fácil. Pois, para o proprietário não existe perda. Aceitando negociar, ele apenas estabiliza o valor do aluguel no contrato, mantém a locação e o pagamento das taxas acessórias. 

Previna-se e não fique com o imóvel parado

Prevenir também é importante. Na Casarão, diversos locadores buscaram atuar nessa medida antes de serem acionados pelos inquilinos. O proprietário Paulo Diniz é um exemplo: “Achei melhor baixar o valor do aluguel porque estamos todos passando por dificuldades nesse momento de pandemia. E acho melhor baixar o valor ao invés de ficar com o imóvel parado”. 

A Casarão segue otimista quanto aos movimentos do mercado. Desde o início da pandemia implementamos uma série de atitudes para apoiar clientes, inquilinos e proprietários durante a jornada de locação. Mesmo com a alta no número de negociação, há uma intensa busca de novos inquilinos por imóveis nas cidades de Pelotas e Santa Maria. Estamos seguidamente avaliando nossa oferta e apoiando proprietários para evitar riscos na locação. 

Conte com a Casarão neste momento, reforçamos a parceria em todos os pontos de atrito que se referem à locação. Em caso de dúvidas entre em contato conosco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *