Gestão colaborativa na Casarão

Gestão Colaborativa

Há muitos detalhes por trás do serviço que a Casarão Imóveis oferece a seus clientes. Como uma empresa ao mesmo tempo tradicional e inovadora, a imobiliária sabe que o primeiro passo para ser reconhecida é olhar para si própria.

Foi esse pensamento que motivou o desenvolvimento do modelo de competências da Casarão. O trabalho cresceu e acabou transformando a maneira com que a empresa lida com a gestão de pessoas.

Competências da Casarão Imóveis

Quando Luciano Munhoz assumiu a gerência de recursos humanos da Casarão Imóveis, a empresa entendia que precisava mudar a maneira de administrar e de entender as demandas de seus colaboradores.

Para isso, foram contratados os serviços da Kienbaum, principal empresa de consultoria da Alemanha, cujo trabalho envolveu o desenho das competências, que servem de norte para o comportamento e o desenvolvimento das pessoas.

O que houve de diferente foi que esse processo ocorreu de forma totalmente aberta. “Quando começamos a trabalhar com a ideia de construção coletiva, esse termo acabou tomando conta da empresa”, revela Munhoz.

O gerente de RH explica que, em outros tempos, as decisões eram tomadas no modelo chamado de top-down: os diretores e gestores decidiam e isso se fazia valer nos outros níveis. No processo de definição das competências, mais pessoas começaram a participar do processo decisório.

Definiram-se seis competências:

  • Habilidade de negociação
  • Encantar o cliente
  • Foco em resultados
  • Liderança e desenvolvimento de pessoas
  • Inovação e criatividade
  • Comprometimento com a Casarão

“As competências fazem parte de um conjunto de atitudes que devem ser percebidas de forma positiva pelos outros”, explica João Antônio de Freitas, sócio da Kienbaum no Brasil. Um conjunto de comportamentos esperados dos funcionários da Casarão foi definido pelas lideranças e será mensurado a partir de um processo de feedback 360 graus, que tem como objetivo desenvolver e alavancar a carreira dos colaboradores.

Inteligência colaborativa

De nada adiantaria a definição das competências se elas não forem internalizadas e compreendidas por todo mundo que faz parte da Casarão Imóveis. Mas como envolver os colaboradores no processo? Esse foi o desafio assumido por Laila Palazzo, facilitadora e cofundadora da Laborama Inteligência Colaborativa.

Para isso, foram feitas rodas de conversas colaborativas que envolveram os funcionários de todas as unidades da Casarão. “Em vez de apenas comunicar o que foi construído, a gente chamou os colaboradores para darem continuidade nessa construção junto com a gente”, conta Laila. Nessas atividades, todos os níveis hierárquicos e setores da empresa foram representados.

As competências foram apresentadas e os colaboradores foram questionados sobre o que cada uma delas significa na sua visão. As ideias surgidas nessas rodas de conversas geraram pequenos planos da ação para serem colocados em prática. Uma maneira muito eficaz de engajar, de fazer com que as pessoas se sintam participativas e corresponsáveis por algo maior, segundo Laila.

A facilitadora conta que, um dia, antes de conversar com outra turma, encontrou no elevador da Casarão uma menina que havia participado da atividade no dia anterior. Com brilho nos olhos, a colaboradora contou como achou legal falar das competências e disse: “Se nós é que estamos dizendo como fazer, como é que eu não vou levar para a prática?”.

Essa é uma história que resume bem a importância do trabalho feito pela Kienbaum, Laborama, Casarão e seus quase 150 colaboradores. “Passamos a ser uma empresa mais aberta quanto ao processo decisório e política de RH. E isso é muito bom para o nosso crescimento como empresa”, conclui Luciano Munhoz.

Essa é uma história que ainda não acabou. A Casarão é uma empresa tradicional, que está há mais de 40 anos no mercado, mas não se apega somente ao passado. Reconheceu a necessidade de uma mudança cultural e está colocando essa transformação em prática. O desenvolvimento é contínuo e muitas ações vêm pela frente.

E você, concorda com a importância de ambientes de trabalho colaborativos, em que colaboradores de todos os níveis participam das decisões de uma empresa? Dê a sua opinião deixando um comentário abaixo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *