Autônomo pode financiar imóvel pelo Minha Casa Minha Vida?


O Brasil é um país com uma grande proporção de trabalhadores autônomos. Alguns trabalham nesse formato por opção, outros por necessidade.

Um dos aspectos negativos que costumam ser atribuídos ao formato é a falta de uma garantia de renda, o que supostamente torna mais difícil acessar o crédito bancário.

Mas será que é assim mesmo?

Neste artigo, vamos mostrar que, mesmo sem o contracheque depois de um mês de trabalho, o trabalhador autônomo pode comprar uma casa ou apartamento pelo Minha Casa Minha Vida ou outro modelo de financiamento imobiliário.

Siga a leitura e descubra como comprovar renda e se enquadrar nos critérios do programa habitacional.

Qual o problema em ser autônomo?

Problema nenhum. Trabalhador autônomo é aquele que exerce uma atividade profissional “por conta própria”, ou seja, sem possuir um vínculo empregatício formal com uma empresa.

O que para alguns representa assumir mais riscos e, para outros, a oportunidade de ter mais flexibilidade e poder ganhar mais.

Existem trabalhadores autônomos nas mais diversas áreas: pintores, advogados, motoristas de aplicativo, manicures, editores de vídeo, garçons…

O fato de não possuírem um salário mensal fixo não significa que eles não têm condições de pagar as parcelas de um imóvel.

Para financiar um imóvel pelo Minha Casa Minha Vida sendo autônomo, a grande questão é comprovar que a renda obtida com esse formato de trabalho, mesmo variando de um mês para outro, é suficiente para dar conta das prestações.

Como financiar um imóvel pelo Minha Casa Minha Vida sendo autônomo?

Se o trabalhador autônomo tem condições para financiar um imóvel pelo Minha Casa Minha Vida, basta que ele mostre isso para a Caixa.

Como?

1. Estando com o CPF em dia

Esse é um pré-requisito em qualquer caso de financiamento imobiliário, mesmo para trabalhadores que têm carteira assinada.

A pessoa não pode constar em cadastros restritivos como SPC e Serasa e precisa estar com uma boa pontuação de crédito (o chamado score).

Se você paga todas as suas contas em dia, não deve ter problemas aqui. Ter conta na Caixa e inserir seu CPF na nota fiscal ao fazer compras também ajuda.

2. Mostrando suas contas e boletos

Ter um cartão de crédito e contas de telefone, energia e água em seu nome ajuda a mostrar ao banco que você tem poder de consumo.

Além dessas contas básicas, anexe à documentação boletos de assinaturas de jornais e revistas, internet, TV a cabo, clube, academia e outras despesas mensais.

Por fim, boletos de seguros, plano de saúde, previdência privada, consórcio e outros documentos desse tipo complementam sua comprovação — desde que tudo esteja em seu nome, claro.

3. Mostrar extratos bancários

Por último, mas não menos importante, o trabalhador autônomo precisa comprovar renda. Não tem mistério aqui: basta apresentar os extratos da sua conta corrente com cheque especial.

Com um detalhe importante: não basta apresentar o extrato de um mês, e nem de vários meses separados no tempo.

A conta precisa existir a no mínimo 6 meses e a movimentação bancária demonstrada dos últimos 3 meses, pelo menos.

Dúvida comum: Imposto de Renda serve para comprovar renda?

O autônomo também pode apresentar a sua última declaração do Imposto de Renda (IR) entre os documentos comprobatórios.

Mas apenas se ele não estiver no grupo de isenção, ou seja, caso sua renda tributável no exercício declarado tenha sido superior a R$ 28.559,70.

Ainda tem dúvidas sobre o processo de financiamento habitacional pelo Minha Casa Minha Vida? A Casarão conta com um correspondente bancário credenciado Caixa Aqui para dar todo o suporte necessário.

Se tiver alguma pergunta, deixe um comentário abaixo ou entre em contato com a gente.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *